Sequência cabo de rede: como montar da forma correta

Sequência cabos de rede

A montagem de um cabo de rede é fundamental para garantir a melhor qualidade possível na transmissão de dados pelo sistema. Para realizar esse tipo de instalação de maneira correta, é fundamental conhecer a sequência cabo de rede e como executá-la apropriadamente.

Essas sequências são indicadas pela ABNT NBR 14565-2007, que leva em consideração todos os aspectos necessários para uma maior performance na transmissão.

Caso não saiba, os cabos de rede servem para que os computadores se comuniquem por meio de conexões. Explicando melhor: o princípio dos cabos é o bem similar ao das conexões sem fios, por exemplo, mas claro, a conexão nesse caso é feita por um cabo elétrico ou fibra óptica.

Entender esse assunto é primordial, pois os cabos de rede seguem padrões e apresentam especificações em que a velocidade de dados é diferente.

Quer entender melhor quais são as sequências para cabos de rede e por que elas são tão importantes? Continue a leitura!

Para que servem os cabos de rede

Para que servem os cabos de rede

Como mencionado acima, o cabeamento de rede é o responsável por realizar a conexão entre computadores, garantindo assim, mais estabilidade, organização nos ambientes profissionais e facilidade na manutenção dos equipamentos.

Em geral, os cabos de rede podem ser usados para vincular dois equipamentos de maneira direta ou até mesmo para estabelecer a conexão entre um dispositivo e um roteador ou “switch”.

Além disso, quando o cabeamento é bem feito, ele ainda traz outro benefício: torna-se mais fácil a tarefa de inserir ou remover dispositivos de uma rede.

Leia também: O que é filtro de linha, vantagens e como escolher

Materiais Elétricos

Tipos de cabo de rede

Quando falamos sobre os cabos de rede, temos 2 principais tipos: o cabo coaxial e o cabo de par trançado.

cabo coaxial é utilizado pelos provedores de internet para conectar a rede local do imóvel com a internet.

Ou seja, estamos falando daquele cabo que fica conectado ao roteador e que é capaz de transmitir até 10 Megabits por segundo.

Além disso, por possibilitar frequências altas sem a necessidade de replicar o sinal em grandes distâncias, o cabo coaxial também é amplamente usado para transmissões de imagens para televisão.

No entanto, para uma rede com muitos computadores, o cabo coaxial não é a melhor opção.

Quando realizamos a montagem de redes locais com esse tipo de cabo, a rede apresenta uma topologia chamada de “barramento”. Em outras palavras, quando muitos computadores são conectados ao cabo principal, a transmissão desses dados ocorre por meio de uma fila.

Outra situação recorrente que também gera problemas é quando dois computadores se comunicam ao mesmo tempo. Isso provoca uma colisão e os dados precisam ser retransmitidos.

Em resumo, utilizar um cabo coaxial em uma rede com vários computadores pode provocar atrasos no envio de dados.

Já o cabo de par trançado é indicado para topologias onde há uma comunicação de muitos computadores ao mesmo tempo, além do mais, também pode ser usado para ligar equipamentos de redes como hubs e switches.

Ele é formado por 4 pares de cabos entrelaçados entre si, o que ajuda a diminuir as interferências eletromagnéticas.

Mas afinal, nesse caso, como o cabo identifica a máquina que está se conectando?

Para entender esse ponto, lembre-se que todo cabo usa um conector. O coaxial, por exemplo, utiliza o conector BNC. Já o par trançado usa os conectores RJ-45 que possuem 8 pinos: um para cada fio em dois padrões: cabos straight (cabos diretos) e cabos crossover (cabos cruzados).

Entenda melhor abaixo:

Cabo Straight

Também chamados de cabos “convencionais”, “diretos” ou “normais”, eles são opções mais comuns e simples.

Os cabos straight podem ser utilizados para ligar o computador diretamente a hubs ou switches, sem outros intermediários.

Para realizar a conexão desse tipo de cabo, você deve lembrar que o padrão da ordem dos fios precisa ser o mesmo em todas as pontas, ou seja, na rede inteira, para que ela funcione corretamente.

Cabo crossover

Por outro lado, o cabo crossover é usado para conectar dois dispositivos de rede do mesmo tipo, como dois computadores.

Esse modelo foi amplamente aproveitado em redes domésticas mais antigas para conectar dois PCs sem o intermédio de um concentrador ou a ligação de modems.

Quando o assunto é o visual externo, os cabos cruzados são quase idênticos aos comuns, mas há uma sutil diferença entre eles: a ordem dos fios codificados por cores que aparecem no final do cabo.

Hoje em dia, no entanto, a maioria das redes domésticas usam roteadores que contam com capacidade de crossover integrada, eliminando assim, a necessidade desses cabos especiais.

Leia também: Tipos de Tomadas mais utilizadas e como escolher

Cores cabos de rede

Os cabos de rede, especificamente os cabos Ethernet, são formados por oito fios entrelaçados em quatro pares, cada um com uma cor distinta para facilitar a identificação e a conexão correta.

As cores padrão são: branco com verde (par 1), verde (par 1), branco com laranja (par 2), laranja (par 2), branco com azul (par 3), azul (par 3), branco com marrom (par 4), e marrom (par 4).

Essa organização de cores ajuda na montagem de conectores RJ45 e garante a correta transmissão de dados.

Quais são as sequências para cabo de rede

Há dois diagramas de fiação padrões para o cabo RJ-45 dos fios dentro do conector: o TIA/ EIA 568B e o TIA/ EIA 568A.

Nos dois casos, temos dispostos 8 fios agrupados em pares e são retos (as duas extremidades são as mesmas).

Sequência 568A

Para o TIA/ EIA 568A, a ordem das cores dos fios da esquerda para a direita é a seguinte:

  • Branco e verde;
  • Verde;
  • Branco e laranja;
  • Azul;
  • Branco e azul;
  • Laranja;
  • Branco e marrom;
  • Marrom.

Sequência 568B

Já para o TIA/ EIA 568B, a ordem é:

  • Branco e laranja;
  • Laranja;
  • Branco e verde
  • Azul;
  • Branco e azul;
  • Verde;
  • Branco e marrom;
  • Marrom.

Encontre diversos materiais elétricos e de rede em nosso site

Qual a diferença entre as sequência 568A e T-568B

Em resumo, as duas sequências podem ser usadas para conectar cabos de rede, e a única diferença entre elas é a posição dos fios da faixa verde e laranja que são trocadas.

Além disso, o T-568B é o mais usado para redes comerciais e de escritórios.

E qual a diferença entre os cabos CAT5E e CAT6?

Outros dois tipos de cabos de rede que despertam dúvidas durante a instalação são o CAT5e e o CAT6. 

Em resumo, o CAT5e, também chamado de categoria 5e, é um cabo de rede padrão aprovado em 1999. Ele oferece um desempenho significativamente superior ao modelo antigo (CAT5), incluindo velocidade mais rápida em até 10 vezes e habilidade superior para atravessar distâncias sem ser impactado pela diafonia.

Estruturalmente falando, os cabos CAT5e apresentam tipicamente bitolas retorcidas de 24 pares de fios, que podem ser compatíveis com redes Gigabit para distâncias de segmentos de até 100 m.

Já o CAT6, derivado da Categoria 6, foi lançado poucos anos depois do CAT5e. Esse cabo é padronizado com par retorcido para Ethernet, retrocompatível com CAT5/5e e padrões de cabos CAT3.

Assim como o CAT5e, os cabos CAT6 são compatíveis com segmentos de Gigabit Ethernet de até 100 m, porém, também possibilitam o uso em redes 10-Gigabit por uma distância limitada.

No que diz respeito às diferenças destes dois cabos, podemos destacar:

  • Largura de bandaambos os cabos podem gerenciar velocidades de até 1000 Mbps ou um Gigabit por segundo – um valor mais do que suficiente para a velocidade da maioria das conexões de internet. Nesse caso, a principal diferença se relaciona à largura da banda que o cabo pode receber. Enquanto os cabos CAT6 são projetados para operação em frequências de até 250 MHz, o CAT5e opera com 100 MHz. Ou seja, o cabo CAT6 pode processar mais dados ao mesmo tempo.
  • Velocidade: considerando que os cabos CAT6 desempenham a até 250 MHz (mais do que o dobro do CAT5e), eles acabam por oferecer velocidades de até 10GBASE-T ou 10-Gigabit Ethernet. Já os cabos CAT5e são compatíveis com até 1GBASE-T ou 1-Gigabit Ethernet.
  • Diafonia: atualmente, os cabos CAT6 são mais flexíveis e contam com especificações mais rigorosas para diafonia e ruído no sistema. Então, além de oferecerem uma interferência mais baixa na transmissão em comparação com o CAT5e, eles também melhoram a telediafonia de mesmo nível, a perda de retorno e a perda de inserção. Em outras palavras, o CAT6 inclui menor ruído no sistema, menos erros e taxas de transmissão mais altas.
  • Comprimento máximo: os dois cabos disponibilizam comprimentos de até 100 m por segmento de rede. Contudo, as velocidades máximas alcançáveis não são atingidas após esse comprimento. Se você precisar cobrir distâncias maiores, o sinal pode ser amplificado com repetidores ou seletores.
  • Visual: na maioria dos casos, a categoria do cabo estará impressa no material. Porém, se não conseguir identificar por cor ou pelo conector RJ45, saiba que o CAT6 é normalmente mais grossos que o CAT5e por utilizarem cabos de cobre mais grossos.
  • Custo: todos esses pontos que destacamos acima influenciam nos valores dos cabos, como comprimento, qualidade, fabricante, etc. No geral, os cabos CAT6 podem ser de 10 a 20% mais caros que os CAT5e.

Por que seguir a sequência cabo de rede RJ45

Por que seguir a sequência cabo de rede RJ45

Como vimos no decorrer do artigo, os cabos de rede são fundamentais para o funcionamento de uma rede, tanto domésticas quanto para empresas.

Nesse contexto, a sequência cabo de rede foi desenvolvida para evitar ruídos e perda de performance nas transmissões de dados.

Em outras palavras, a montagem de um cabo de rede feita de qualquer jeito e sem planejamento pode sofrer com interferências que colocam em risco a qualidade e eficiência da conexão.

Se esse tipo de problema já gera muito estresse em casas, imagine complicações na conexão dentro de uma empresa que depende diretamente de redes para funcionar?

Por isso, é essencial seguir o que a norma da ABNT indica na montagem dos cabos de rede.

Leia também: Como fazer emenda de fios e cabos elétricos

Conclusão

Ao longo desse conteúdo, explicamos melhor qual é a sequência cabo de rede ideal e porque ela é tão importante em casas, escritórios e comércios.

Um dos principais responsáveis por facilitar a conexão com a internet e a troca de dados, os cabos de rede são fundamentais para o nosso dia a dia, seja no âmbito profissional quanto pessoal.

Ficou interessado em aprender mais? Temos vários conteúdos do tipo aqui no Blog da Obramax, não deixe de conferir!

Autores

  • Victor Fruges

    https://br.linkedin.com/in/victor-leonardo-fruges-neto-9b118126
  • Marco Lima

    Jornalista com ampla experiência em Marketing Digital com foco em conteúdo para web. Atua desde 2021 na produção de artigos para o blog da Obramax em conjunto com especialistas técnicos no segmento da Construção Civil.